quinta-feira, 30 de setembro de 2010







De bicicleta, carro ou à pé...Foi assim o Bicicletaço organizado pelo PSTU Belém hoje dia 30.
A atividade marcou a reta final da campanha, no último dia permitido para fazer comícios e grandes atividades na cidade.
Os candidatos do PSTU falaram durante toda a caminhada, chamando a população a votar nos candidatos trabalhadores e socialistas, que estão realmente comprometidos com os trabalhadores.
Abel e Paulo Braga, candidatos ao senado, denunciaram as manobras que Jader e Paulo Rocha estão tentando fazer para se eleger.
O bicicletaço teve início na Praça do Operário e foi até a Júlio César, onde terminou em um ato.

Voto útil é o voto no 16!


As eleições estão chegando, e a campanha chega à reta final. Está na hora de decidir em quem votar. Vote contra a direita, vote nos candidatos do PSTU.
Imprima sua cola para levar na hora de votar

Alguns podem pensar que é melhor votar em Dilma para evitar a volta da direita. De fato, as pesquisas têm demonstrado grande possibilidade de Dilma se eleger no primeiro turno. Serra é o representante das privatizações – que Lula não cancelou. Mas quem é a direita?

Na verdade, são “duas direitas” disputando o aparato de Estado. Dilma e Serra têm o mesmo projeto para o país. Nos governos do PSDB e nos dois mandatos de Lula, os banqueiros e os grandes empresários se deram muito bem. No governo Lula, lucraram mais que no de FHC. Alguns dos setores mais importantes da burguesia estão apoiando Lula.

Nós, do PSTU, queremos conversar com os trabalhadores e jovens que estão prestes a votar. Durante os últimos meses, tentamos mostrar aos trabalhadores e trabalhadoras brasileiros uma alternativa que realmente os representasse e atendesse às suas necessidades.

As candidaturas de Dilma, Serra e Marina são apoiadas e financiadas pelos maiores bancos e pelas maiores empresas do país. Depois, no governo, eles pagarão esses favores com ataques aos direitos dos trabalhadores, arrocho salarial e sucateamento da saúde, educação, transportes.

Nós, ao contrário, queremos o apoio dos trabalhadores e estudantes conscientes. Precisamos do seu voto.

Temos orgulho de não aceitar dinheiro de nenhum setor da burguesia. Mantemos nossa independência financeira, o que é imprescindível para manter nossa independência política em relação a todos os setores da burguesia. Ficamos com nossos poucos recursos e nossa campanha modesta.

Em compensação, você não vai ver o PSTU nos noticiários envolvido em escândalos de corrupção. Você não vai ver o PSTU na TV defendendo políticas contra os aposentados, anunciando cortes de recursos para a saúde e a educação.

O PSTU vai estar ao seu lado, nas lutas do dia-a-dia, nas campanhas eleitorais, nas greves por melhores condições de trabalho, pela reforma agrária e todas que servirem para trazer benefícios aos trabalhadores e à juventude, pelo fim da exploração.

Dizemos aos trabalhadores que, se não houver um programa econômico que rompa com o imperialismo e o FMI, as mudanças necessárias ao país não vão acontecer, pois as nossas riquezas são sugadas. É por isso que defendemos o não-pagamento das dívidas, a estatização dos bancos e o controle de capitais e apoiamos as lutas por salário e emprego dos trabalhadores.

Um voto seu no PSTU significa um voto num programa socialista que, se não fossem nossas candidaturas, estaria ausente da campanha eleitoral em boa parte do país. Você que está conosco nas lutas aposte em nós também nas eleições.

Vote em nossos candidatos e convide seus colegas de trabalho, amigos, familiares, vizinhos a votarem 16 também. Some-se à nossa campanha ajudando a convencer mais pessoas a votar em nossos candidatos. No dia da eleição, leve sua colinha com o número dos nossos candidatos. Não esqueça: este ano, é preciso dois documentos para votar, o título e outro documento com foto (RG, identidade profissional, carteira de habilitação etc.)

Não será um voto perdido. É um voto para manter viva a luta da classe trabalhadora contra os patrões e fortalecê-la para o futuro. É hora de fortalecer a verdadeira esquerda no país. O voto contra a direita, o verdadeiro voto de protesto é no 16!

Contra burguês, vote 16!

É hoje o Bicicletaço do PSTU! Participe! Vote 16!

BICICLETAÇO DO PSTU 16!

É NA QUINTA - DIA 30/09 - A PARTIR DAS 17H


CONCENTRÇÃO EM SÃO BRÁS - AO LADO DO TERMINAL RODOVIÁRIO


VÁ DE BICICLETA, MOTO ou CARRO e CARREGUE A BANDEIRA 16!


Vote: CONTRA BURGUÊS VOTE 16.OPERÁRIO E SOCIALISTA DESSA VEZ!
Presidente: Zé Maria - 16 * Governador: Cleber - 16 
Senadora: Abel - 160 *  Senador: Paulo Braga - 161
Deputado Federal: Ailson Cunha - 1616 * Angela Soares - 16123

Cleber Rabelo no debate entre estudantes na UFPA

Nesta quarta, o candidato Cleber Rabelo participou de debate na Universidade Federal do Pará promovido pelas entidades representativas dos professores, estudantes e funcionários da universidade. No debate, onde foram convidados todos os candidatos ao governo do Estado, só participaram os candidatos do PSTU e do PSOL. Os demais candidatos mais uma vez não compareceram ao evento, assim como fizeram nos debates promovidos na UEPA e na UFRA, demonstrando o desrespeito às comunidades acadêmicas do Estado.
No debate foram discutidos temas como saúde, meio ambiente, juventude e educação. Em suas propostas, Cleber destacou que a essência para a solução dos problemas relacionados ao tema tem a ver com a ruptura com este sistema corrupto e explorador, que marginaliza a juventude, sucateia a educação e repassa verbas públicas para a iniciativa privada. Só mudando esta lógica poderemos mudar a vida dos trabalhadores e da juventude.
Uma das principais propostas também defendidas por Cleber Rabelo tem a ver com as políticas para o ensino superior. O candidato denunciou as políticas do governo Lula como o REUNI e o novo ENEN, que não garantem contratação de professores nem assistência aos estudantes das universidades públicas e propôs aumento da verba para a educação pública.



PSTU - Vote 16! Programa de encerramento

terça-feira, 28 de setembro de 2010

Debate entre candidatos ao governo na UFPA

AMANHÃ, 29/09 QUARTA, 19H  NO AUDITÓRIO DO ICJ

Aguardamos a presença de Ana Júlia e Jatene...

Fonte: Diário Online
Terça-Feira, 28/09/2010, 22:08:02

Os candidatos ao governo do Estado deverão apresentar, nesta quarta-feira, 29, suas propostas à comunidade universitária paraense, durante um debate promovido pela Associação de Docentes da UFPA (Adufpa), em conjunto com o Diretório Central dos Estudantes (DCE) e o Sindicato dos Trabalhadores das Instituições Federais de Ensino Superior do Pará (Sinditifes). O encontro entre os candidatos acontecerá a partir das 19 horas, no auditório do Instituto de Ciências Jurídicas (ICJ) da Universidade Federal do Pará (UFPA), e será transmitido ao vivo pelo site da Universidade e pela Rádio Web da Instituição.
Foram convidados para o debate os candidatos Ana Júlia Carepa (PT), Cleber Rabelo (PSTU), Domingos Juvenil (PMDB), Fernando Carneiro (PSOL) e Simão Jatene (PSDB). As regras do encontro foram definidas em reunião com as assessorias no dia 22 de setembro.



O debate - A composição do debate será de quatro blocos. No primeiro, cada candidato terá cinco minutos para fazer sua exposição inicial. A ordem de apresentação será definida em sorteio, meia hora antes do debate. No segundo bloco, os candidatos deverão expor suas propostas referentes aos temas saúde e meio ambiente, educação e universidade, segurança e juventude. Para cada eixo temático, o tempo de resposta é de três minutos. No terceiro bloco, será a vez da plateia participar fazendo perguntas para os postulantes ao governo do Estado. Cada candidato deverá responder a duas perguntas do público presente, com temática livre. O tempo de resposta é de cinco minutos. O quarto e último bloco será destinado às considerações finais, quando os candidatos terão o tempo de cinco minutos para tentar convencer os eleitores.



Segundo a diretora-geral da Adufpa, Rosimê Meguins, o debate é uma contribuição das entidades representativas da UFPA para a democracia e será uma ótima oportunidade para que os eleitores da Universidade possam definir seu voto na eleição do dia 3 de outubro. Rosimê destaca que, além de formadora de opinião, a comunidade universitária da UFPA possui um eleitorado maior do que muitas cidades paraenses, o que mostra a importância desse público na definição do pleito eleitoral e nos debates sobre o futuro do Estado. (Diário Online com informações UFPA)

Comitê Operário reúne mais uma vez

Já são 38 filiados em apenas duas reuniões do comitê!

As reuniões do comitê operário de campanha do PSTU Belém tem sido um verdadeiro sucesso! Além de organizar os apoiadores, discutindo com eles o programa defendido pelos candidatos e repassar os informes da campanha, os trabalhadores são convidados ao fim da reunião a se filiar no PSTU e assim se tornar mais próximo do partido, participar das atividades e receber os materiais.
Em duas reuniões do comitê, já foram 38 companheiros e companheiras operárias filiadas, um reflexo do entusiasmante clima das eleições na categoria, que está engajada na campanha de Cleber e Ailson!







segunda-feira, 27 de setembro de 2010

BICICLETAÇO DO PSTU 16!

É NA QUINTA - DIA 30/09 - ÀS 17H


CONCENTRÇÃO NA PRAÇA DO OPERÁRIO - SÃO BRÁS.


VÁ DE BICICLETA,MOTO ou CARRO e CARREGUE A BANDEIRA 16.


Vote: CONTRA BURGUÊS VOTE 16.OPERÁRIO E SOCIALISTA DESSA VEZ!
Presidente: Zé Maria - 16 * 16 - Governador: Cleber
Senadora: Abel - 160 * 161 - Senador: Paulo Braga
Deputado Federal: Ailson Cunha - 1616 * 16123 - Angela Soares

Campanha do dia 27 de setembro

Visita no bairro operário do Guamá


PANFLETAGEM EM FRENTE À OBRA NA AV. CONSELHEIRO

Cleber em frente a empresa Gafisa

Festa da construção civil do dia 26 de setembro

Cleber fazendo saudação aos trabalhadores presentes na festa


Xaropinho cantando


Trabalhador da construção civil e apoiador da campanha


sábado, 25 de setembro de 2010

Queremos Cleber no debate da TV Liberal!

PARTICIPE DA CAMPANHA
Mesmo que você não apóie o candidato ou não concorde com suas propostas, mas defende a democracia e a liberdade de expressão, participe desta campanha!


A TV Liberal, assim como fez a RBA, excluiu Cleber Rabelo candidato do PSTU do debate entre candidatos ao governo do Estado do Pará.
Isso porque eles não querem que Cleber denuncie as mentiras e traições dos outros candidatos. Eles têm medo que Cleber fale a verdade para o povo paraense!

A desculpa que a TV Liberal utilizou é que o PSTU não tem representação parlamentar e não atingiu 3% nas pesquisas, portanto, não são obrigados por lei a chamar o candidato. Mas sabemos que este não é o verdadeiro motivo. Eles podem chamar Cleber assim como fez a TV RECORD.

No debate da RECORD Cleber roubou a cena. Todos sabem que ele foi a principal peça do debate, que sem ele seria uma morna e diplomática conversa. Cleber falou com todas as letras tudo o que os trabalhadores paraenses pensam e não têm oportunidade de dizer.

Excluir Cleber do próximo debate é privar o povo de poder escolher conscientemente seu voto. Não podemos aceitar esta manipulação!

Por isso, faça parte da campanha "Queremos Cleber no debate da TV Liberal".
Mesmo que você não apóie o candidato, mas defende a democracia e a liberdade de expressão, exija da TV Liberal a presença de Cleber no debate do dia 28 de setembro, próxima terça-feira!

Mande um e-mail com o texto abaixo para os endereços:
pauta@tvliberal.com.br; portalorm@orm.com.br; redacao@orm.com.br; assessoriapstubelem@yahoo.com.br


"Exigimos a democracia nos debates entre candidatos ao governo do Estado. O povo paraense tem o direito de ver as propostas de TODOS os candidatos no último debate na TV antes das eleições.
Queremos Cleber Rabelo no debate da TV Liberal!"


No twitter, envie a mensagem: #queremosclebernodebate#
E participe do twittaço SEGUNDA 10H!

terça-feira, 21 de setembro de 2010

Comitê operário reúne mais de 60 hoje na construção civil




O Comitê de campanha operário Cleber Governador e Ailson Federal reuniu hoje cerca de 60 operários da construção civil e mais uma série de militantes que refletiram todo o entusiasmo dos trabalhadores que hoje acordaram mais felizes após a brilhante apresentação de Cleber no debate da TV RECORD, denunciando as mentiras dos outros candidatos e falando o que os trabalhadores sempre quiseram dizer na TV.

Além dos informes da campanha, foi dado o destaque na reunião para a importância da organização dentro de um partido socialista. Pois as eleições são apenas um ponto de apoio para que possamos divulgar nosso programa e expandir a um setor bem mais amplo do que de costume nossas propostas. Ailson fez o convite para todos que estavam alí presentes fazerem uma experiência com o PSTU e conhecerem melhor o partido revolucionário.

Ao fim do debate, dezenas de trabalhadores se filiaram ao partido e manifestaram seu interesse em conhecer o PSTU.

Cleber é entrevistado pelo Programa Rota Cidadã

Cleber fala sobre seu programa para a segurança pública


Entrevista vai ao ar no dia 25/09 - Sábado - na TV RBA

Imagens do debate

Cleber Rabelo rouba a cena no debate da Record

Cleber Rabelo, candidato do PSTU ao governo do Pará, roubou a cena no debate entre os candidatos ao governo do Estado, promovido pela TV Record em Belém, na noite de segunda-feira (20). Rabelo prendeu a atenção do telespectador paraense e apresentou propostas contrárias aos outros candidatos, especialmente, a estatização de vários setores, como energia elétrica e transporte coletivo.
Operário da construção civil e participante pela primeira vez de debates na televisão, Cleber Rabelo conseguiu chegar ao trending topics no Twitter, quando se referiu à usina hidrelétrica de Belo Monte, em fase de implantação no rio Xingu, no Pará.
Ele disse que seu partido é contra a usina porque o empreendimento vai expulsar índios, agricultores e ribeirinhos de suas terras. No entanto, 80% da energia que será gerada servirá para abastecer as grandes empresas do sul e o sudeste do Brasil. Outra proposta do operário do PSTU é a taxação de grandes empresas e fortunas do País.
Foram quatro blocos de perguntas e respostas, mas no geral os temas foram mal discutidos, tornando o debate cansativo.
Rabelo conseguiu animar a discussão. Ele e o candidato do PSOL, Fernando Carneiro, usaram a mesma tática de se apresentarem como oposição aos outros três candidatos, a governadora Ana Júlia Carepa (PT), que concorre à reeleição, Domingos Juvenil (PMDB) e Simão Jatene (PSDB).
A governadora foi o alvo principal dos outros candidatos, como era de se prever. Ela se mostrou inquieta com as críticas, focando sua participação nos investimentos de seu governo nas áreas de educação, saúde e segurança pública.
Já o candidato do PMDB, Domingos Juvenil, que também preside a Assembleia Legislativa do Pará, fez duras críticas às ações federais de combate ao desmatamento no Estado. Juvenil classificou operações como a Arco de Fogo, planejada para conter o alto índice de desmatamento na Amazônia, como intervenção branca no Estado do Pará, permitida pela governadora, que é do PT.
O candidato do PSDB, que segundo pesquisas do Ibope e Instituto Veritate, realizadas na semana passada, está em primeiro lugar nas intenções de voto dos paraenses, se limitou a fazer críticas a sua principal adversária e a repetir propostas já apresentadas no programa eleitoral gratuito, como por exemplo, a ideia de fazer um pacto com o funcionalismo público estadual.

FONTE: http://www.terra.com.br

Candidato operário e socialista dá show no debate da TV RECORD

O debate promovido ontem pela TV RECORD foi a primeira participação de Cleber em debates na TV com os demais candidatos, pois a emissora foi a única que convidou o candidato do PSTU. O debate contou também com a presença dos candidatos Simão Jatene do PSDB que já foi governador do Estado entre os anos de 2002 e 2006 além de ter sido um dos principais secretários do governo de Almir Gabriel também do PSDB que governou o Pará nos 8 anos anteriores a Jatene; Ana Júlia Carepa do PT, atual governadora do Estado, da DS, corrente interna do PT; Domingos Juvenil do PMDB, atual presidente da Assembléia Legislativa, aliado de Jader Barbalho; e do candidato Fernando Carneiro do PSOL, professor de História, militante da corrente interna APS.

Cleber Rabelo foi quem abriu o debate da TV RECORD. Sua primeira pergunta foi direcionada ao candidato Simão Jatene do PSDB, ex-governador do Estado e o primeiro colocado nas pesquisas do IBOPE. Cleber questionou Jatene sobre a privatização da CELPA, que foi vendida em 1997 por R$450 milhões, fazendo subir em mais de 200% a conta de energia elétrica e perguntou o que o candidato vai fazer para diminuir a conta de energia elétrica da população. Obviamente, Simão Jatene não respondeu a pergunta, pois era o braço direito de Almir Gabriel, o governador responsável pela privatização da CELPA. Jatene comprovou que vai governar para os ricos, para os donos da Rede CELPA e não para os trabalhadores que sofrem com a conta de energia.

O candidato Domingos Juvenil, do PMDB questionou Cleber sobre as políticas para combate à violência. Mais uma vez, Cleber foi enfático ao afirmar que a violência é um problema social e que não é matando os jovens, como faz o caveirão no RJ, que vamos resolver o problema e sim investindo em educação, esporte e lazer para dar oportunidade aos jovens.

Quando questionado pelo jornalista da RECORD sobre o posicionamento acerca da hidrelétrica de Belo Monte, Cleber reafirmou mais uma luta dos movimentos sociais paraenses: A luta contra a implementação de Belo Monte. Cleber falou que de acordo com pesquisadores da USP não seria necessário construir Belo Monte se fosse feita uma revitalização da hidrelétricas já construídas e que Belo Monte será um grande atentado contra o meio ambiente da amazônia.

Cleber ainda teve a oportunidade de comentar a resposta da candidata Ana Júlia, atual governadora do Estado, sobre a questão da saúde. Agora Cleber denunciou os repasses de verbas públicas para a iniciativa privada implementadas tanto pelos governos do PSDB quanto do PT.

No terceiro bloco, Cleber denunciou a vergonha das polpiticas de Ana Júlia para a Universidade do Estado do Pará, onde só investiu 12 milhões na UEPA no ano passado e divulga a Universidade Aberta do Brasil (UAB) como um grande projeto, mas que na realidade não passa de uma ilusão para a juventude paraense pois significa uma verdadeira precarização do ensino.

Cleber fez sua última pergunta para Fernando Carneiro, onde deixou explícita sua diferença com o projeto de governo do PSOL. Cleber deixou claro que só existe um candidato que defende de fato a bandeira do socialismo nestas eleições.
O debate terminou com Cleber chamando o voto nos candidatos do PSTU para que a luta se fortaleça nas ruas e no parlamento.

Agora é partir para mais vitórias! Vamos construir uma campanha operária e socialista, vote PSTU 16!



segunda-feira, 20 de setembro de 2010

Cleber - Saúde

DEBATE HOJE 23H NA TV RECORD

Assista hoje o debate entre os candidatos ao Governo do Estado do Pará com a presença de Cleber Rabelo!!!
Estaremos frente a frente com os demais candidatos e vamos denunciar todas as mentiras que eles contam aos trabalhadores!
Não Perca! HOJE, 20 DE SETEMBRO 23h na TV RECORD

quinta-feira, 16 de setembro de 2010

CLEBER AMANHÃ NO JORNAL LIBERAL ÀS 11:45

Não perca!
Amanhã, sexta-feira dia 17/09, será exibido no Jornal Liberal 1ª edição às 11:45, entrevista de Cleber Rabelo, onde ele falará sobre segurança, saúde e outros pontos de seu programa.
Conheça mais nossas propostas!
Vote numa alternativa socialista nestas eleições!

Cleber - Semana da Pátria

Cleber - Vida de Rico

Cleber - Estado Rico

Cleber - Cleber nos Debates

Cleber - Estado Rico

Cleber - Apresentação

quinta-feira, 9 de setembro de 2010

Zé Maria em Belém nesta segunda, dia 13

Agenda de Zé Maria no dia 13/09 em Belém:

Às 7h, passagem em canteiro de obra
Às 8h, panfletagem e caminhada no centro da cidade (BASA até Ver-o-peso)
Às 12h, passagem em canteiro de obra
Às 18h, Reunião do Comitê de campanha com ativistas e apoiadores

Participe junto conosco das atividades de Zé Maria em Belém!


CONVITE PARA REUNIÃO DO COMITÊ

quinta-feira, 2 de setembro de 2010

Por que governar o Estado do Pará?

Cleber Rabelo fala porque se candidatou ao cargo de governador do Estado

*matéria publicada no blog Espaço Aberto no dia 01/09:
http://blogdoespacoaberto.blogspot.com/2010/09/o-que-eu-pretendo-fazer-como-governador.html

Pretendo governar o Estado do Pará para fazer uma inversão radical com relação à lógica de pra quem e com quem governar. Historicamente nosso Estado foi dirigido por partidos burgueses que governaram com mão de ferro para os patrões, os ricos e poderosos. A eleição de Ana Júlia foi fruto da experiência da população com os 12 anos de governo tucano. Os paraenses depositaram grandes esperanças de que o Partido dos Trabalhadores mudaria essa história, governando para os trabalhadores e as camadas mais necessitadas de nosso Estado. Porém, o que se viu foi a continuidade da aplicação do mesmo programa neoliberal de Almir Gabriel e Jatene. Quatro anos depois do governo de Ana Júlia, a riqueza do Pará continua sendo para poucos, enquanto a miséria é para milhões.


O Pará é um dos Estados mais ricos do Brasil, possuindo as maiores reservas de minérios, as mais valiosas madeiras, imensas quantidades de terra e água e uma das maiores biodiversidades do planeta. No entanto, continua sendo campeão do analfabetismo, com a educação pública completamente destruída e um avanço sem precedentes do ensino privado; a saúde agoniza com hospitais sem leitos, pessoas morrendo sem atendimentos, os postos de saúde em completo abandono, levando a situações que chocam o mundo como as centenas de bebês mortos na Santa Casa, dita de Misericórdia; a violência aumenta a olhos vistos e a população vive a cada dia mais insegura e amedrontada, pois chacinas e assassinatos hediondos já se tornaram rotina em Belém, principalmente de mulheres e jovens da periferia.

Queremos governar o Pará para mudar radicalmente essa situação, pois consideramos que a dura realidade do trabalhador e da população paraense é responsabilidade de seus governantes.

Alguns dados mostram como o Pará tem duas realidades completamente distintas: 50% da população sobrevivem com um salário mínimo; um milhão e meio de trabalhadores estão no mercado informal e centenas de milhares estão desempregados; o povo pobre amarga um déficit habitacional de 489 mil moradias no estado, sendo que 50% das casas populares não recebem água encanada. Ana Júlia, para tentar se reeleger a todo custo, fechou um acordo com Duciomar de privatização da Cosanpa, o que aprofundará essa situação.

Por outro lado, existe uma minoria que a cada dia se torna mais milionária. Só para citar dois exemplos: o setor da construção civil é um dos que mais cresce no Estado, agora com a entrada de empresas multinacionais. Com a cidade de Belém entre os cinco mercados imobiliários mais caros do país, o faturamento das empresas cresce tanto quanto as torres dos apartamentos de luxo. O setor de mineração também não tem do que se queixar: somente em 2008, exportou 90 milhões de toneladas de ferro, o equivalente a 246,6 mil toneladas por dia, obtendo um lucro de 5,6 bilhões de dólares. Para o povo paraense fica a poluição e a devastação do meio ambiente.

Nessas eleições apresentamos minha candidatura, operária e socialista, para dizer à população que é possível mudar essa situação invertendo a ordem de prioridade. Ao invés de se atender àqueles que têm tudo, vamos governar com e para os que constroem nosso Estado com o suor de seu trabalho. Isso é viável a partir de medidas urgentes, tais como: elevação geral dos salários, plano de obras públicas, como hospitais escolas e casas populares, dobrar o orçamento da saúde e da educação, combater a violência com emprego, renda e educação de qualidade, fazer a reforma agrária para acabar com o conflito no campo, prendendo os mandantes e assassinos de trabalhadores rurais, reestatizar a Vale e a CELPA e garantir passe livre aos estudantes e desempregados. A aplicação dessas medidas só pode ser obra de um governo verdadeiramente dos trabalhadores, sem patrões, socialista e apoiado nos conselhos populares. Este é o sentido da minha candidatura.

Cleber é entrevistado no Programa Pensando Bem

Nesta quarta, o candidato Cleber Rabelo participou de entrevista na TV Nazaré, no Programa Pensando Bem, com a jornalista Adelaide Amaral, onde discutiu durante 60 minutos suas propostas de campanha sobre diversos temas, como saúde, meio ambiente, segurança, educação, economia e cultura.
Na entrevista, Cleber destacou alguns pontos do seu programa como o combate à Lei de responsabilidade fiscal como forma de investir mais na saúde e reverter o caos que o setor vive hoje. Além disso, sobre a questão da violência, discutiu a proposta de desmilitarização da polícia com a formação de uma polícia única, de novo tipo,com controle dos trabalhadores e a proposta de legalização das drogas, como combate ao tráfico e fazendo com que o Estado possa assumir o controle sobre a circulação das drogas, facilitando assim seu combate. Sobre a ética destacou que para ser um político ético, seu mandato tem que ter um controle popular, com revogação do mandato e à serviço dos trabalhadores.